08/04/2022

Como escolher meus instrumentos?

Existem milhares de padrões e estilos diferentes de instrumentos cirúrgicos disponíveis no mercado. A grande maioria desses instrumentos foi desenvolvida para uso clínico em seres humanos, mas também são utilizadas em medicina veterinária ou em pesquisas por sua versatilidade. 

Alguns instrumentos são específicos para uma aplicação, mas podem muitas vezes ser reaproveitados em outras situações médicas. Por exemplo, os porta-agulhas curvos são excelentes para laminectomias em camundongos, mas seu propósito original é o auxílio de suturas.

Basicamente, são divididos de acordo com o tempo cirúrgico: diérese, preensão, separação, síntese e especiais. Na diérese são utilizados os instrumentos de corte, que incluem tesouras, facas, lâminas de bisturi, entre outros. Para a preensão utiliza-se pinças, que podem ou não ser hemostáticas para interromper o fluxo sanguíneo de uma área corporal. Os afastadores fazem a separação de tecidos e possuem diversos modelos para cada tipo de cirurgia. Na síntese, os cirurgiões utilizam porta-agulhas, agulhas e fios de sutura para reunir os tecidos. Além de todos esses grupos, os instrumentos especiais têm características próprias e específicas para determinada situação em uma cirurgia.

Ao escolher seus instrumentos cirúrgicos, considere alguns pontos:

  • Qual procedimento você realizará? O instrumento cirúrgico correto e específico faz toda a diferença no resultado de um procedimento.
  • Qual é o tamanho da cirurgia? Um instrumento delicado e adequado para pequenos procedimentos pode não ser a melhor escolha para uma cirurgia de grande porte.
  • Com qual frequência o instrumento será utilizado? Uma tesoura de titânio ou com um tratamento especial em suas pontas garante uma afiação por mais tempo.

A maioria dos instrumentos cirúrgicos são produzidos de aço inoxidável ou titânio (quando instrumentos não-magnéticos são necessários). O aço inoxidável é uma liga que contém um mínimo de 12% de cromo para resistir à corrosão.

Com variação em qualidade e preço, esses materiais representam uma grande parte do orçamento cirúrgico. E cuidar desse investimento é responsabilidade de todos que os utilizam em uma clínica ou hospital.